ABATERJ - voltada para a valorização pessoal

Convênios Culturais

APÓS 4 ANOS EM CARTAZ E COM 7 TEMPORADAS DE SUCESSO DE PÚBLICO E CRÍTICA, A PREMIADA BLACKBIRD FAZ TEMPORADA NA CIDADE DAS ARTES, BARRA DA TIJUCA.

Texto vencedor do Festival Internacional de Edimburgo e do Prêmio Laurence Olivier Award, inspirado em um caso real de pedofilia, o premiado drama trás o reencontro de um homem e uma mulher que viveram caso polêmico quando ela tinha 12 anos e ele 41. Agora eles estão cara a cara para um acerto de contas. Pela 1ª vez na Barra da Tijuca, após 7 temporadas de sucesso de público e crítica, 4 anos em cartaz, 2 anos consecutivos sendo destaque no Fringe/Festival de Curitiba. Com Viviani Rayes, Yashar Zambuzzi e participação de Bia Vedovato. Dir. Bruce Gomlevsky. Produção: Rayes Produções Artísticas.

SERVIÇO:

Temporada de 09 de junho a 01 de julho

Sábado, 20h

Domingo, 19h

Local: Cidade das Artes

Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ, 22793-080

Telefone: (21) 3325-0102

Duração: 80 min

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 16 anos

Ingresso: R$50,00

Ingresso para associados: R$ 25,00

 

RELEASE DA PEÇA:
Inspirada em um caso real de pedofilia, Blackbird aborda um tema de caráter social, ético e moral, através de um homem de 56 anos e uma jovem de 27, que se reencontram quinze anos depois de terem tido uma relação amorosa, quando ela tinha apenas 12 anos de idade e ele, 41. Um drama que discute sobre as consequências a longo prazo do abuso sexual, o amor entre pessoas de idades diferentes, os instintos sexuais versus os padrões éticos e morais que temos em nossa sociedade. Mas Blackbird vai além ao dialogar com esse tema de maneira responsável e humana, sem ser unilateral, preconceituosa e sensacionalista.
Ética, moral e tabu:
A todo o momento vemos casos semelhantes serem noticiados pelos meios de comunicação, mobilizando iniciativas governamentais e não governamentais no combate e solução do problema. Entretanto, algumas mídias divulgam e exploram a pedofilia de maneira sensacionalista, e essa é a grande diferença de BlackBird, que não aborda o tema com tal característica, e, sim, pretende “discutir” o assunto ampliando a nossa definição de ética, moral e tabu, não se limitando apenas a uma discussão simplista de abuso sexual.

 

FICHA TÉCNICA:

Elenco: Viviani Rayes, Yashar Zambuzzi, Bia Vedovato / Texto: David Harrower / Tradução: Alexandre J. Negreiros / Direção: Bruce Gomlevsky / Direção de Produção: Viviani Rayes / Produção Executiva: Yashar Zambuzzi / Cenário: Pati Faedo / Figurinos: Ticiana Passos / Iluminação: Elisa Tandeta / Trilha Original: Marcelo Alonso Neves / Programação Visual e Fotografias: Thiago Ristow / Fotos de Cena: Thaissa Traballi e Lu Valiatti / Operação de Luz: Lais Patrocínio/ Operação de Som: Larissa Guimarães / Idealização: Te-Un TEATRO / Produção e Realização: Rayes Produções Artísticas